As primeiras colocadas do TEP 2007 – Marina, Ana Paula e Daniela – recebem prêmios

Neste ano comemoram-se os 40 anos do TEP – Título de Especialista em Pediatria. E é com satisfação que a Diretoria da SPSP informa que as três primeiras colocadas do TEP 2007 são do Estado de São Paulo.

A primeira, Marina Santorso Belhaus, reside no bairro de Moema, em São Paulo, capital. Formou-se pela Escola Paulista de Pediatria – Unifesp/EPM, onde também fez residência. Atualmente, Marina está fazendo especialização em Endocrinologia Pediátrica, na Santa Casa de São Paulo (SP). Um dos motivos que a levou a escolher a Pediatria foi a influência e o exemplo de um de seus professores de graduação, o pediatra Benjamin Kopelman. “Além disso, gosto muito de lidar com crianças, gosto da energia que elas têm. E a possibilidade de intervir na pessoa ainda em formação é muito gratificante”, diz Marina. Para ela, a baixa opção pela especialidade se deve em grande parte pelo fato de os estudantes de Medicina terem uma visão distorcida do que é a Pediatria. “Eles consideram uma especialidade de menor importância, o que não é verdade”, comenta. Quando terminar a especialização em Endocrinologia, Marina tem intenção de montar seu consultório, além de continuar estudando e se manter ligada ao meio acadêmico.

Em comemoração aos 40 anos do TEP, Marina foi premiada com as despesas pagas pela SBP para participar no IX Congresso Nacional de Pediatria Região Centro-Oeste que ocorreu de 8 a 12 de outubro, em Goiânia (GO), e recebeu um exemplar do Tratado de Pediatria da SBP na abertura do Congresso.

Veja as fotos da premiação

Ana Paula de Carvalho Canela, a segunda colocada, é de Itajubá (MG), cidade onde se formou, na Faculdade de Medicina de Itajubá. Fez residência na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – FMRP e agora está fazendo especialização em UTI Pediátrica no Instituto da Criança (ICr) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Ana Paula sempre soube o que iria fazer quando crescesse: ser médica. Desde os quatro anos de idade ela sonhava com essa profissão, e a visão mais próxima que tinha da atividade era o seu próprio médico pediatra. Por isso, Ana Paula já sabia que se especializaria em Pediatria antes de se formar. Com relação à UTI, a pediatra acredita que essa especialização dá uma boa visão de atendimento de urgência e capacita para o pronto atendimento. Ana Paula sentiu a baixa opção pela Pediatria na faculdade, mas é otimista. “Se a procura é menor o pediatra acaba mais valorizado”, diz. “Faço minhas escolhas com o coração e me enfiei de cabeça na Pediatria porque é o que gosto e o que quero fazer”, conta empolgada. Embora esteja gostando muito de atuar na UTI, Ana Paula quer ter seu consultório e voltar a fazer puericultura.

Outra mineira, de Santa Rita do Sapucaí, Daniela de Freitas Gonçalves foi a terceira colocada no exame do TEP 2007. Ela também se formou na Faculdade de Medicina de Itajubá (MG), mas fez residência no Hospital Mario Gatti, em Campinas (SP). Foi a experiência na residência que fez Daniela querer ficar em Campinas. Quando questionada sobre o porquê da sua opção por Pediatria, Daniela diz que não se vê cuidando de adultos. No quarto ano da faculdade ela fez a opção por Ginecologia e Obstetrícia e conseguiu um estágio. Ao acompanhar os partos, Daniela sentiu que queria dar o atendimento ao bebê e não à mãe, e foi aí que percebeu que queria fazer Pediatria. “A comunicação com a criança é mais fácil, ela não mente, não esconde problemas nem os aumenta. O exame físico é mais verdadeiro”, comenta. Segundo Daniela, a disciplina de Pediatria na faculdade de Itajubá é muito boa, com excelentes professores, o que aumenta a vontade de seguir essa especialidade. Ela não pretende fazer especialização em nenhuma área dentro da Pediatria porque gosta da clínica geral. Daniela percebe que muitos pediatras estão se voltando para sub-especialidades, como a Cardiologia, Oftalmologia, entre outras, e isso está fazendo com que o pediatra geral, de consultório, seja raro. Daniela está fazendo atendimento em posto de saúde e pronto socorro em Campinas e, embora saiba que é difícil, pretende ter seu consultório. “A Pediatria é uma clínica geral, que vê a criança como um todo. É preciso gostar muito e ter paciência, mas vale a pena!”

Ana Paula e Daniela também foram premiadas com exemplares do Tratado de Pediatria da SBP.

Assessoria de Imprensa – SPSP
Texto divulgado em 17/10/2007.

Veja as Fotos