Cirurgia das tonsilas palatinas e faríngeas

Relator:
Dr. Silvio Antonio Monteiro Marone
Doutor em Otorrinolaringologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Professor Titular da Disciplina de Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina da PUC de Campinas, Professor Doutor da Disciplina de Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e Presidente do Depto. Científico de Otorrinolaringologia da SPSP.

 

As linhas básicas que nos orientam para a indicação de tonsilectomia são:

Indicações absolutas:
• Formação de cor pulmonale – por obstrução crônica das vias aéreas superiores por hipertrofia acentuada das tonsilas ou adenoides, com aumento de PC02 e redução de P 02.
• Hipertrofia de tonsilas e/ou adenoides associada a quadros de apneia noturna e ou obstrução das vias aéreas superiores.
• Hipertrofia das tonsilas palatinas a ponto de causar disfagia com consequente perda de peso e mal desenvolvimento geral.
• Passado de abscesso peritonsiliano.
• Neoplasias.
• Halitose por tonsilite crônica caseosa.


Indicações relativas:
• Episódios recorrentes de tonsilites verificadas pelo médico (mais de quatro por ano) afastada previamente imunodeficiência.
• Hiperplasia tonsiliana permanente após mononucleose infecciosa, determinando obstrução das vias aéreas superiores.
• História de febre reumática com dano cardíaco associado à tonsilite crônica recorrente com controle antibioticoterápico ineficiente.


Indicações de adenoidectomia:
• Adenoidite crônica ou hipertrofia de adenoides associadas a surtos de otites médias agudas recorrentes ou otites médias crônicas secretoras.
• Adenoidite crônica associada a otite média crônica supurativa rinofaringite ou sinusite de repetição.
• Hipertrofia adenoideana causadora de obstrução da via aérea ao nível da rinofaringe.


Contraindicações para a cirurgia das tonsilas e/ou adenoides:
• Discrasias sanguíneas – Coagulopatias.
• Fenda palatina ou fenda submucosa do palato duro. Recentemente, certas técnicas de faringoplastia para diminuir o espaço da rinofaringe e melhorar os efeitos da paralisia de palato mole que impede o fechamento normal da rinofaringe exigem que seja feita adenoidectomia prévia para possibilitar a faringoplastia.
• Paralisias do véu do paladar, insuficiência velo palatina e palato mole curto – retirada das adenoides indicada somente em casos de faringoplastias para diminuição do espaço entre a faringe e a parede anterior da rinofaringe com intuito de melhorar a fonação e o refluxo alimentar.

 

Texto original publicado no Boletim Pediatra Informe-se Ano XXVII * Número 159 * Setembro/Outubro de 2011.