11º Fórum Paulista de Prevenção de Acidentes e Combate à Violência

SPSP-Sociedade de Pediatria de São Paulo
Texto divulgado em 29/11/2017
Atualizado em 01/12/2017

 

 

Sociedade de Pediatria de São Paulo realiza debate multiprofissional refletir e discutir estratégias para identificar, enfrentar, prevenir e encaminhar situações de vulnerabilidade de crianças e adolescentes, com ênfase nos agravos intencionais (violências) e não intencionais (acidentes) em nível doméstico, na escola e nos espaços públicos

 

O Núcleo de Estudos da Violência Contra Crianças e Adolescentes da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) realizará, em 6 de dezembro, a décima primeira edição do Fórum Paulista de Prevenção de Acidentes e Combate à Violência.

POLÊMICAS

A programação do Fórum Paulista de Prevenção de Acidentes e Combate à Violência tratará de assuntos relevantes e recorrentes na atualidade, como crianças desaparecidas e crimes virtuais e cyberbullying, entre outros. O Dr. Mario Roberto Hirschheimer, um dos coordenadores do encontro, ao lado da Dra. Renata Dejtiar Waksman, ressalta a importância de a discussão ser expandida a outras áreas, além da saúde.

“Iremos analisar o panorama no País hoje e buscar estratégias para identificar, encaminhar e prevenir todas as situações de risco relacionadas às crianças e aos adolescentes com todos os profissionais que de alguma forma lidam com esse público, englobando a saúde, educação, assistência social, profissionais da mídia, da Justiça e da segurança. A meta é apontar uma política de consenso para a redução dos casos e o tratamento das vítimas”.

O presidente SPSP, Claudio Barsanti, será um dos participantes de mesa redonda sobre cyberbullying e crimes virtuais. Trata-se de tema cada vez mais presente e preocupante. Ele argumenta que em diversas oportunidades o autor de ataques ou provocações nem tem a noção de estar praticando uma agressão a outras pessoas.

“O cyberbullying tem dois grandes complicadores. Um é a memória da internet: a divulgação de uma imagem, de uma fala ou de uma piada de mau gosto pode permanecer indefinidamente no ar e nem se apagar. Há simultaneamente a possibilidade de repercussões graves, como quadros depressivos e até suicídios de vítimas”, comenta Claudio Barsanti.

Como parte da programação, haverá conferência de autoagressão e suicídio, outra questão de grande destaque na mídia nos últimos anos devido ao aumento constante das taxas entre crianças e jovens no Brasil. Esse tema será ministrado pela Dra Luci Pfeiffer, pediatra e coordenadora do Programa HC Dedica de Atendimento a Menores em Situação de Violência Grave, do Hospital de Clínicas da UFPR.

“Será detalhado o conceito de a autoagressão, focando no suicídio, suas modalidades e formas, a legislação existente, os comportamentos de risco, ou seja, quais são os sinais característicos para dar assistência a crianças ou adolescentes nessa situação. Também sobre autoagressão, falará de lesões factícias, mutilações, ocultação desses sintomas e casos de difícil percepção, adianta a dra. Renata Waksman.

Estarão em pauta ainda os diversos tipos de acidentes de trânsito, principal causa de morte acidental no Brasil entre crianças e adolescentes entre 0 e 14 anos. Outro assunto polêmico é a disforia de gênero, que será abordado pela primeira vez no Fórum. Serão abordadas as transexualidades e os aspectos jurídicos, a proteção prevista na legislação. Por fim, o Fórum abordará adoção de crianças e adolescentes e tráfico de menores.

“Quem tiver a oportunidade de participar aprenderá bastante. O intuito é disseminar conhecimento, entender e saber mais sobre como lidar com essa situação tão grave que é a violência contra a criança e o adolescente, assim como unir forças pelo combate e prevenção de acidentes”, conclui a dra. Renata Waksman.

GUIA DE ORIENTAÇÃO

O Fórum será palco do lançamento da 2ª edição do Manual de Atendimento às Crianças e Adolescentes em Situação de Risco de Violência, na versão eletrônica.

A obra é um guia de orientação aos profissionais que lidam com o público infantil e com jovens nas áreas de saúde, educação, psicologia, justiça e mídia. Traz dicas de como reconhecer vítimas de violência, assim como proceder para o encaminhamento dos casos aos órgãos responsáveis. Este manual foi elaborado por membros do Núcleo de Estudos da Violência da SPSP E do Departamento de Segurança da Sociedade Brasileira de Pediatria em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM).

“O Manual será uma referência nacional. É uma publicação de excelência para o combate e prevenção da violência contra criança e o adolescente”, garante Claudio Barsanti.

 

Para mais informações e inscrições, acesse http://www.spsp.org.br/2017/09/22/11o-forum-paulista-de-prevencao-de-acidentes-e-combate-violencia-da-sociedade-de-pediatria-de-sao-paulo-2/

 

11º Fórum Paulista de Prevenção de Acidentes e Combate à Violência Contra Crianças e Adolescentes

Data: 6 de dezembro de 2017

Horário: 08h30 às 18h00

Local: Anfiteatro João Yunes – Faculdade de Saúde Pública da USP, andar térreo do prédio da Biblioteca da Faculdade de Saúde Pública
Endereço: Avenida Dr. Arnaldo, 715. Cerqueira César, São Paulo – SP

Contato: (11) 3253-3713

Site: https://www.eventbrite.com.br/e/11o-forum-paulista-de-prevencao-de-acidentes-e-combate-a-violencia-da-sociedade-de-pediatria-de-sao-tickets-39487175204

 

Importante: As inscrições online serão encerradas às 15h00 do dia 5/12. Novas inscrições poderão ser realizadas no local do evento, dia 6/12, na dependência de vagas. Não perca!