Fórum debate assuntos relacionados à violência e acidentes

SPSP-Sociedade de Pediatria de São Paulo
Texto divulgado em 08/12/2017

 

 

O Núcleo de Estudos da Violência Doméstica Contra a Criança e o Adolescente (NEVDCA) da Sociedade de Pediatria de São Paulo realizou, no dia 6 de dezembro, o Fórum Paulista de Prevenção de Acidentes e Combate à Violência. O evento está em sua décima primeira edição e é voltado para profissionais que, de alguma forma, lidam com crianças e adolescentes, englobando a saúde, educação, assistência social, profissionais da mídia, da Justiça e da segurança.

A programação do Fórum trouxe para discussão assuntos relevantes, recorrentes e preocupantes, como os crimes virtuais, o cyberbullying, a questão das crianças desaparecidas e o tráfico de menores. Também entrou na pauta do evento a autoagressão e o suicídio, questão de grande destaque na mídia nos últimos anos devido ao aumento constante das taxas entre crianças e jovens no Brasil.

Um assunto polêmico abordado no Fórum pela primeira vez foi a disforia de gênero, passando pela transexualidade e os aspectos jurídicos da questão. O evento também apresentou os diversos tipos de acidentes de trânsito, principal causa de morte acidental no Brasil entre crianças e adolescentes, e discutiu a adoção.

De acordo com Renata Waksman, organizadora do Fórum juntamente com Mário Hirschheimer, o objetivo permanente do evento é disseminar conhecimento, entender e saber mais sobre como lidar com essa situação tão grave que é a violência contra a criança e o adolescente, assim como unir forças pelo combate e prevenção de acidentes.

Na abertura do evento os organizadores apresentaram a 2ª edição do Manual de Atendimento às Crianças e Adolescentes em Situação de Risco de Violência, que em breve estará à disposição dos interessados na versão eletrônica e impressa. Trata-se de um guia de orientação aos profissionais que lidam com o público infantil e com jovens nas áreas de saúde, educação, psicologia, justiça e mídia, com dicas de como reconhecer vítimas de violência e como encaminhar os casos aos órgãos responsáveis. O Manual foi elaborado por membros do NEVDCA da SPSP E do Departamento de Segurança da Sociedade Brasileira de Pediatria em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM).

 

Fotos: SPSP

Da esquerda para a direita: Henrique Moraes Prata, sub-coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Bioética e Biodireito, ligado ao Departamento de Direito Civil da Faculdade de Direito da USP; Théo Lerner, membro do NEVDCA da SPSP; Anna Christina Cardoso de Mello, psicóloga judiciária da Vara da Infância e da Juventude e Varas de Família e Sucessões do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo; Renata Dejtiar Waksman e Mário Roberto Hirschheimer, coordenadores do evento; e Luci Pfeiffer, pediatra e coordenadora do Programa HC Dedica de Atendimento a Menores em Situação de Violência Grave, do Hospital de Clínicas da UFPR.

 

Participantes assistem à palestra.

 

Participantes assistem à palestra.