Declaração de Bangkok sobre cárie na primeira infância

SPSP – Sociedade de Pediatria de São Paulo
Texto divulgado em 21/08/2019

 

“Apesar do muito que se tem trabalhado para minimizar os índices epidemiológicos da doença cárie, ainda nos deparamos com grandes danos e sequelas causados por lesões de cárie em crianças durante a primeira infância”, afirma Sylvia Lavinia M. Ferreira, odontopediatra e coordenadora do Grupo de Trabalho Saúde Oral da SPSP.

A Declaração de Bangkok sobre Cárie na Primeira Infância (CPI), documento recentemente elaborado pela Associação Internacional de Odontopediatria (IAPD), contou com a participação de renomados professores brasileiros, como o Prof. Dr. Carlos Alberto Feldens, da disciplina de Odontopediatria da Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), representando a Associação Brasileira de Odontopediatria, e o Prof. Dr. Marcelo Bönecker, titular da disciplina de Odontopediatria da Faculdade de Odontologia da USP e atual presidente da IAPD

O objetivo da Declaração é obter apoio em todo o mundo para uma definição baseada em evidências e uma compreensão sobre as evidências em relação à etiologia, fatores de risco e intervenções para reduzir a Cárie na Primeira Infância, assim como estimular abordagens e políticas colaborativas para diminuir esta doença crônica, orientando sobre intervenções precoces que possibilitem seu controle.

Para reduzir a prevalência e impacto de CPI no mundo, a Declaração de Bangkok da IAPD recomenda as seguintes ações:

  1. Conscientizar pais/cuidadores, dentistas, técnicos em saúde bucal, médicos, enfermeiras, profissionais da saúde e outros grupos interessados sobre CPI.
  2. Limitar o consumo de açúcar em alimentos e bebidas e evitar açúcares livres para crianças com menos de dois anos de idade.
  3. Escovar os dentes de todas as crianças duas vezes por dia com pasta fluoretada (ao menos 1000 ppm) usando uma quantidade adequada de dentifrício.
  4. Prover orientações preventivas no primeiro ano de vida por um profissional da saúde ou agente comunitário de saúde (em conjunto com programas já existentes – p.ex. campanhas de vacinação – sempre que possível) e, idealmente, referir para um dentista para manutenção e cuidados preventivos.

“A participação e colaboração dos pediatras é fundamental na conscientização de pais e cuidadores para que possam atuar na prevenção e controle da cárie na primeira infância”, finaliza Sylvia.

Clique aqui para baixar a Declaração de Bangkok.