Segurança de brinquedos

Brincar é o “trabalho” das crianças, então, os brinquedos são suas ferramentas. Durante a brincadeira, as crianças revelam muito seu modo de agir, frente a diferentes situações. É possível observar, desde a coordenação motora e equilíbrio, até a capacidade de memorização da criança, suas ansiedades e medos, sua forma de lidar com o erro, seu nível de atenção, esculpindo a imaginação e a forma de olhar para a vida. Isto faz com que atividade de brincar seja essencial para a relação pais e filhos.

É importante que a escolha dos brinquedos seja feita pela criança, com a participação dos pais, porém a responsabilidade sobre segurança recai sobre pais, responsáveis e fabricantes. Crianças não são as mais bem preparadas para escolher os melhores brinquedos, são as consumidoras e não as especialistas.

Cabe a todos os profissionais que lidam com a criança orientar os pais quanto à escolha adequada dos brinquedos. Esta escolha deve levar em consideração o desenvolvimento e a capacidade da criança em manipular com segurança seus brinquedos. É importante ter em mente que a maturidade da criança pode ser mais importante do que sua idade cronológica.

A cada ano, são fabricados e comercializados milhares de brinquedos diferentes, contudo junto com sua proposta lúdica, de entretenimento e de alegria, riscos em potencial para a segurança da criança podem estar presentes.

Recentemente tivemos notícia, através de informações da mídia, de várias questões envolvendo a segurança de brinquedos, como alguns pintados com tinta contendo chumbo e outros que destacam pequenas peças imantadas. A participação de vários segmentos da sociedade foi significativa, principalmente após a notificação da morte de uma criança nos Estados Unidos da América, após engolir ímãs de bonecas. Assim, um dos maiores fabricantes mundiais de brinquedos, anunciou o recall de 18,6 milhões de produtos, que possuem ímãs que podem se descolar e causar acidentes graves em crianças pequenas, como engasgos, aspiração, sufocação e asfixia.
É fato que este episódio, infelizmente trágico, desencadeou uma avalanche de reportagens sobre o tema. Os desdobramentos foram positivos, ao sensibilizar a população e disseminar informações, principalmente para pais, sobre a importância do brincar, segurança de brinquedos, testes de qualidade, legislações vigentes em nosso país e responsabilidade social das empresas, ampliando o escopo do conhecimento sobre este assunto, com o auxílio de alguns especialistas e pesquisadores nesta área de conhecimento, para a sociedade de forma geral.
O Departamento Científico de Segurança da Criança e do Adolescente da Sociedade de Pediatria de São Paulo tem participado deste processo de construção e desenvolvimento de ações na área da segurança da criança, através de publicações sobre o tema, destinadas à população em geral e fazendo parte de alguns projetos, de órgãos governamentais e não governamentais de proteção à criança.


Acidentes relacionados com brinquedos

  1. aspiração ou ingestão do todo ou parte do brinquedo
  2. intoxicação (chumbo contido nas tintas)
  3. queimaduras
  4. choque elétrico
  5. acidente de captação (dedos, roupas, cabelos – provocados por molas, rodas denteadas ou dobradiças)
  6. explosão (produtos químicos)
  7. cortes/lacerações
  8. acidente com projéteis

DICAS DE SEGURANÇA
Seleção do Brinquedo

  1. Selecione brinquedos considerando idade, habilidades, capacidades e interesse das crianças. Avalie qualidade e siga recomendações do fabricante sobre segurança.
  2. Para lactentes evite brinquedos com partes pequenas, que podem oferecer risco de sufocação ou aspiração.
  3. Selecione brinquedos leves que não causarão perigo caso caiam sobre a criança.
  4. Certifique-se de que os materiais dos brinquedos são atóxicos.
  5. Evite brinquedos que produzem ruídos altos.
  6. Evite brinquedos com pontas, bordas afiadas ou que possuam qualquer objeto de arremesso ou lançamento, para crianças com menos de cinco anos.
  7. Brinquedos com correntes, tiras e cordas com mais de 15 cm devem ser evitados.
  8. Escolha brinquedos com superfícies e dimensões de fácil higiene, favorecendo assim sua limpeza.
  9. Após brincadeiras com balões, descarte-os juntamente com eventuais pedaços, para evitar risco de aspiração.
  10. Balões e bexigas danificadas, furados ou com algum tipo de defeito, devem ser descartados imediatamente.
  11. Opte por brinquedos que encorajem a criatividade, incluindo livros e revistas apropriados para cada faixa etária.
  12. Desencoraje brinquedos com forma de armas ou que promovam a violência.
  13. Evite brinquedo que promove estereótipos raciais, étnicos, culturais ou sexuais.

Supervisão do brinquedo

  1. Supervisione os lactentes de perto durante as brincadeiras.
  2. Mantenha um ambiente seguro; remova e descarte imediatamente os envoltórios de plástico e embalagens dos brinquedos.
  3. Mantenha caixas e acolchoados fora da área de lazer para não servirem como meio de escalar ou cair.
  4. Ensine as crianças sobre como usar os brinquedos de forma apropriada e segura.
  5. Instrua crianças sobre segurança com eletricidade – puxe a tomada e não o fio.
  6. Brinquedos dirigidos pela criança não devem ser usados próximos às escadas, tráfego, piscinas etc.
  7. Instrua as crianças com mais idade a manter seus brinquedos fora do alcance dos irmãos e amigos mais jovens.
  8. Os balões e bexigas têm risco de asfixia; crianças não devem encher balões sozinhas, e os adultos devem supervisionar seu uso em crianças menores de 6 anos.

Manutenção do brinquedo

  1. Inspecione os brinquedos novos e antigos com regularidade.
  2. Observe ruptura, partes soltas e outros riscos potenciais.
  3. Faça os reparos imediatamente ou tire-os do alcance das crianças.
  4. Use tintas “atóxicas” para repintar brinquedos, caixas ou móveis de crianças.
  5. Verifique as partes móveis, para certificar-se de que elas estão presas com segurança.

Armazenamento

  1. Forneça local seguro para que as crianças guardem brinquedos.
  2. Selecione um baú ou caixa para armazenamento de brinquedos que seja ventilada, isenta de dispositivos de travamento que possa prender os dedos ou cair sobre a cabeça da criança.
  3. Ensine as crianças a guardarem os brinquedos após o uso.
  4. Brinquedos destinados a crianças com mais idade devem ser guardados em prateleiras altas ou em armários fechados.

FIQUE ATENTO!

Símbolo de advertência para brinquedos impróprios para crianças menores de 3 anos

 

Símbolo de advertência para brinquedos que contenham substâncias perigosas.
Brinquedos comercializados sem as normas de qualidade e segurança exigidas expõem as crianças a riscos.

 

Selo INMETRO: garantia da qualidade
INMETRO realiza testes para garantir a qualidade e a segurança dos brinquedos. Os que são aprovados recebem um selo criado especificamente para esses produtos, que representa a garantia na hora da compra. São feitas avaliações de resistência, ruído, composição química e inflamabilidade, entre outras.  

Etiquetas e rótulos podem conter marcas falsificadas por contrabandistas. Produtos importados devem trazer as mesmas informações exigidas para os nacionais, em língua portuguesa.
Na dúvida, ou se notar ausência do selo, denuncie à Ouvidoria do Inmetro por telefone 0800-285-1818 (de 2ª a 6ªf, das 8h às 18h), carta, telefax (21) 2563-2970.

 

 

  1. Exija a nota fiscal para facilitar a troca ou qualquer reclamação.
  2. Verifique a identificação do fabricante (nome, CGC, endereço).
  3. Observe o número de peças ou regras de montagem, quando for o caso.
  4. As instruções devem ser claras e objetivas, em língua portuguesa e com ilustrações.

A Mattel criou um serviço de atendimento específico para o caso da troca dos brinquedos defeituosos. O número é 0800-7701207 e o e-mail é recall.brasil@mattel.com.


Saiba mais no livro:
Crianças e Adolescentes Seguros
. Guia Completo para Prevenção de Acidentes e Violências. Sociedade Brasileira de Pediatria. Coordenadores: Renata D. Waksman, Regina M. C. Gikas e Wilson Maciel. Editora: PubliFolha, 2005.


Links úteis
Criança Segura – Dicas de Proteção – Brincando
Legislação sobre certificação compulsória dos brinquedos – Portaria INMETRO / MDIC No 108 de 13/06/2005

Relatoras:
Maria de Jesus Castro Sousa Harada
Enfermeira. Membro do Departamento de Segurança da Criança e do Adolescente da SBP. Membro do Núcleo de Estudos da Violência contra a Criança e o Adolescente da SPSP. Prof. Dra. da Disciplina de Enfermagem Pediátrica da UNIFESP, São Paulo, SP.

Renata Dejtiar Waksman
Pediatra. Presidente do Departamento de Segurança da Criança e do Adolescente da SBP e vice-presidente do Departamento de Segurança da Criança e do Adolescente da SPSP; Coordenadora do Núcleo de Estudos da Violência contra a Criança e o Adolescente da SPSP; Pediatra do Departamento Materno-Infantil do Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP.

Texto divulgado em 17/09/2007.