Junho Púrpura – Distúrbios de Aprendizagem

 

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-V, 2015), publicação da American Psichiatrc Association, aponta que o transtorno específico de aprendizagem acomete de cinco a 15% de crianças em idade escolar, em diferentes idiomas e culturas, sendo os específicos em leitura e escrita altamente prevalentes. São números expressivos e, por essa razão, a campanha Junho Púrpura – Distúrbios de aprendizagem: conhecer, perceber, enfrentar, da SPSP, coloca em debate o tema e tem como objetivo atualizar pediatras sobre o aprendizado, suas dificuldades e transtornos. “Precisamos trazer o problema para o consultório e não deixá-lo apenas na escola, para orientar pais e cuidadores e ajudar as famílias na difícil escolha de quais especialistas ou profissionais procurar”, adverte Renata Di Francesco, presidente do Departamento de Otorrinolaringologia da SPSP e coordenadora da campanha. Outro objetivo é oferecer informações relevantes ao público leigo para que possam identificar precocemente os problemas e saber qual ajuda especializada procurar para que sejam instituídas intervenções educacionais e terapêuticas necessárias.

A especialista alerta para a diferenciação entre transtorno de aprendizagem e dificuldades no aprendizado. “O primeiro se refere à alterações geneticamente determinadas em circuitos neurológicos específicos com prejuízos das habilidades cognitivas, interferindo na aquisição de aptidões como escrita, leitura e raciocínio lógico-matemático. Já as dificuldades no aprendizado caracterizam-se por desempenho abaixo do esperado para a idade, nível intelectual e de escolaridade em crianças que possuam condições adequadas e contextos favoráveis à aprendizagem”, explica.

A campanha está a cargo do Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Aprendizagem da SPSP, formado não só por pediatras, mas médicos de outras especialidades, e tem um Café da Manhã com o Professor – Junho Púrpura programado para 29 de junho (confira informações no site da SPSP). Outras ações da campanha preveem artigos de atualização científica no boletim Pediatra Atualize-se e nos fascículos de Recomendações, além de textos voltados para o público leigo no blog Pediatra Orienta

Fonte: Pediatra informa-se (Boletim da SPSP)

 

Documentos da Campanha